Cardápio pós-parto para emagrecer definitivamente

Saiba como deve ser o cardápio pós-parto das mamães as mamães que desejam emagrecer definitivamente!

Muitas mamães de primeira viagem, e até aquelas que já estão com mais de um filho, acham que depois do parto se retorna ao ritmo normal de vida, fazendo as coisas que faziam antes.

Porém, não é bem assim e no quesito alimentação é preciso seguir um cardápio pós parto para manter a saúde em dia e a do bebê também.

As mudanças hormonais que ocorrem durante o parto, bem como após ele, mexem muito com os sentidos das mulheres e as deixam com o paladar modificado e isso é um problema, pois é preciso seguir uma alimentação regrada para não ter problemas com o organismo e nem ingerir alimentos que possam comprometer a qualidade do leite.

Por isso um cardápio pós parto é imprescindível para não ter problemas. Muitas mamães não sabem da importância de ter um cardápio pós-parto, pois acham que depois de tudo já podem voltar a se alimentar como antes.

Segredos do cardápio pós-parto para emagrecer

O Mamãe Sarada, que sem sombra de dúvidas consiste no melhor programa de emagrecimentos turbinado para mulheres que acabaram de ter filho, tem um sistema completo com dicas de cardápio pós-parto saudáveis que geram emagrecimento turbinado.

Abaixo leia os artigos com dicas de cardápio pós-parto do Mamães Sarada!

O que é Mamãe Sarada?

Principais perguntas do Projeto Mamãe Sarada

Projeto Mamãe sarada funciona de verdade?

Exercícios HIIT para pernas: Só os melhores treinos!

Quais os melhores exercícios HIIT para pernas de todos os tempos? Isto você apenas vai saber se ler este artigo.

Além desses aparelhos de exercícios HIIT para pernas, é possível acrescentar, ainda, um itinerário completo para que possa executar durante as próximas semanas:

Melhores exercícios HIIT para pernas

Inicie seus exercícios HIIT para pernas com agachamento livre. Em seguida, pratique o treino da passada/avançado: Caminhe em linha reta, sempre olhando à frente.

A cada passo, um pouco mais largo que uma caminhada normal, flexione uma das pernas até que o joelho chegue próximo do chão.

Dessa maneira, você irá trabalhar tanto a perna esquerda quanto a direta, a cada passada/avanço. Lembrando que o joelho deve ir para baixo, e nunca para frente.

Complemente seus exercícios HIIT para pernas com sessões de treinos de Leg Press, Extensora, Adutora, Panturrilha em pé e sentada e Flexora.

Agora, eu vou revelar um super segredo para você. Após pesquisar um pouco na internet encontrei um artigo que revela os melhores exercícios HIIT para pernas.

Mais sobre exercícios!

Exercício para o glúteo crescer: 7 dicas para tonificar bumbum

Exercícios para queimar gordura abdominal

Projeto para emagrecer e ficar com um corpo lindo no verão!

Como emagrecer com exercícios em casa

Confira a seguir as melhores dicas de como emagrecer com exercícios em casa! Dicas de personal trainer!

Afinal, como emagrecer com exercícios em casa? O que fazer para perder o excesso de pança e curtir o melhor verão de todos os tempos? Como aquela calça que te deixa um mulherão pode voltar a ficar perfeita no seu corpo?

Especialistas em como emagrecer com exercícios em casa concordam com o seguir: treino intervalado de alta intensidade, ou, Hiit, que consiste na realização de uma atividade cardio no pique máximo, com pequenos intervalos de descanso.

Leia mais

Treino intervalado de corrida para iniciantes

Como perder gordura abdominal

Dicionário fitness parte II: 16 termos revelados

Treino hiit natação na esteira subaquática funciona para perder barriga rápido?

Outra dica interessante de como emagrecer com exercícios em casa está na dança. Isso mesmo que você leu.

A cada ano cresce o número de academias e centros esportivos com aulas de dança voltadas para a perda de peso.

Além de uma prática saudável, a dança ajuda a você conhecer melhor o seu corpo, é uma forma de arte e expressão cultural e proporciona não só benefícios físicos, com também psicológicos.

A terceira dica de como emagrecer com exercícios em casa pode ser resumida na execução de treinos intervalos de alta intensidade física.

Nesse tipo de treinamento, você pode correr, nada, andar de bicicleta durante apensas alguns minutos do seu dia, já que os resultados são alcançados ao longo das semanas

Como perder peso depois do parto?

Este artigo você vai conhecer as melhores dicas de como perder peso depois do parto. Conselhos úteis para todas as mulheres interessadas no assunto.

Amamentação

A amamentação é um dos períodos mais bonitos para algumas mulheres, existem estudos afirmando que no momento em que o bebê está se alimentando por conta da sucção do bico do peito a mulher queima calorias.

Caminhada: como perder peso depois do parto

A caminhada também é um ideal, pois irá trabalhar com todas as regiões do corpo, com a contração muscular, além de fortalecer os músculos, ela irá queimar ácidos graxos também.

Agachamento

O agachamento é um exercício responsável pelo fortalecimento da região pélvis, com a sua execução, além da tonificação da pélvis, suas pernas serão beneficiadas, pois com o retraimento muscular, elas ficarão torneadas.

Hidroginástica

Este exercício é o mais indicado, pois a mulher após o parto está com o corpo sensível e ele deixará que a execução de várias atividades físicas não atrapalhe o organismo, mas que eficientemente consigo deixá-lo do jeito que era antes da gravidez.

Yoga

A yoga não é só uma atividade que deve ser executada após o nascimento da criança, mas durante a gestação é muito indicada, já que trabalha com todo o corpo alongando e fortalecendo os músculos.

Abdominal

Esta atividade é recomendada para o fortalecimento e a queima de calorias do abdome, claro que deve ser feita no início segundo o consentimento de seu médico

A cinta é um item muito importante para voltar a barriga ao normal, deve ser usada sem medo, porque após a concepção ela estará inchada e a cinta auxiliará no desinchaço.

Tudo o que foi sugerido para perder peso rápido depois do parto, é necessário o acompanhamento do médico responsável.

O corpo da mulher nesse momento encontra-se em um estado abalado e os exercícios serão responsáveis pela colocação dos órgãos no lugar, o fortalecimento dos músculos e o emagrecimento.

Saiba mais como perder peso depois do parto ao acompanhar as dicas da Mamãe Sarada.

Alongar ou aquecer primeiro?

Alongar ou aquecer primeiro, eis a questão? Existe uma certa confusão entre alongar e aquecer. Isto porque algumas pessoas acham que o alongamento previne lesões, mas na verdade é o aquecimento o responsável disso.

Para um melhor rendimento é necessário o aquecimento, enquanto o alongamento faz o papel inverso. Quando você alonga o seu corpo, é como se aplicasse tensão (esfriamento) sobre todos os músculos dificultando e prejudicando o treinamento, que merece o pique dos movimentos ágeis para surtir efeito.

O alongamento antes dos treinos aumenta os riscos de lesões, pois deixam os músculos “despreparados” para a bateria de exercícios principalmente nos de alta intensidade, como nos treinos HIIT.

O melhor momento para se alongar é após as atividades físicas, aproveitando que os músculos estão lubrificados, permitindo uma maior amplitude dos movimentos, aliviando dores e massageando órgãos internos, harmonizando o organismo.

O aquecimento serve para preparar o corpo para o ritmo mais puxado dos exercícios e tem vários benefícios, especialmente no Dama Fitness.

Entre eles:

Promover um melhor bombeamento do sangue (o HIIT turbo exige muito esforço e sem uma boa circulação o processo torna-se arriscado);

Acelera produção do Hormônio do Crescimento, da Testosterona e da Adrenalina (os dois primeiros auxiliam na prevenção do acúmulo da gordura, e o último que promove uma melhor performance) e conforme já mencionado, também lubrifica as articulações prevenindo possíveis lesões. Polichinelos e uma corrida moderada são sugestões de aquecimento para o HIIT.

Leia mais informações

Treinos aeróbicos: segredos e mistérios revelados

Treinamento Hiit: Guia do treino intervalado de alta intensidade

Como ficar com barriga tanquinho em pouco tempo?

HIIT ou LISS? Qual é o melhor?

Qual é o melhor tipo de treinamento para queimar gordura na barriga de uma forma ultrarrápida: HIIT ou LIIS?

HIIT e LISS são os dois exercícios cardiovasculares mais populares e conhecidos. O treinamento HIIT é bastante exigente numa variedade de intervalos de cardio onde os picos de intensidade envolvem esforço adequado até para iniciantes.

O benefício de HIIT é a elevada queima de gordura e a preservação da massa muscular – uma vantagem interessante em fases de definição dos músculos.

Por outro lado, LISS é um treinamento de baixa intensidade muito menos exigente e agressivo, mas altamente recomendado para pessoas que começam com cardio ou estão acima do peso.

Ao bem da verdade, muitas pessoas consideram LISS perda de tempo, uma forma pouco exigente que gera maus resultados, principalmente ao comparar aos seguros resultados positivos do HIIT em tonificar os músculos abdominais.

Claro que LISS tem seus benefícios, contudo, para tudo funcionar será preciso um tempo de adaptação metabólica. Quanto mais você praticar maior será a adaptação às exigências físicas para conseguir queimar calorias.

HIIT é melhor do que LISS

Por outro lado, HIIT é uma variedade aeróbica mais exigente e dá bons resultados, sem contar que consiste numa modalidade na qual todas as pessoas podem participar e todo mundo gosta, principalmente porque não se trata de prática chata e repetitiva, mas sim atividades que também treinam a coordenação motora.

Aos poucos, consolidando a forma física, certamente você pode começar a combinar todas as disciplinas e aventuras no mundo HIIT.

Quando se trata de exercícios para perder barriga rapidamente se pode dizer que no mundo ainda não inventaram uma melhor fórmula do que os treinos intervalados de alta intensidade.

Conheça o Q48 e veja como funciona o treino HIIT mais famoso do Brasil. Este é um programa de emagrecimento que promete gerar resultados de 1 ano de academia em apenas 4 semanas de atividades físicas dentro de casa.

Você sabia que HIIT também serve para mulheres que acabaram de ter crianças? Mas, é preciso escolher uma metodologia certificada, tais como a Mamãe Fitness, por exemplo.

Anime-se: Café pode ajudar os vasos sanguíneos a funcionarem melhor.

Anime-se: Café pode ajudar os vasos sanguíneos a funcionarem melhor.

Um novo estudo sugere que café com cafeína pode ajudar os pequenos vasos sanguíneos a trabalharem melhor.
O café pode fazer mais do que despertar as pessoas. Ele pode ajudar os pequenos vasos sanguíneos a funcionarem melhor, um pequeno novo estudo sugere. Mas isso não significa que você deve se esbaldar em litros de café. Pesquisas anteriores já haviam demonstrado que o consumo moderado de café pode ter alguns efeitos benéficos para a saúde cardiovascular. No entanto, o mecanismo preciso para este benefício é desconhecido, diz Masato Tsutsui, um dos autores da nova pesquisa e um cardiologista e professor do departamento de farmacologia da Universidade do Ryukyu em Okinawa, no Japão.

Tsutsui e colegas no Japão trabalharam com 27 adultos saudáveis, com idades entre 22 a 30, que não bebem café regularmente. Em um dia, cada participante tomou cinco xícaras de café com cafeína ou descafeinado. Em seguida, os pesquisadores mediram a hiperemia reativa no dedo indicador esquerdo dos participantes. Esta é uma medida da função vascular, que leva em consideração o quão bem os vasos sanguíneos pequenos funcionam. Dois dias mais tarde, os pesquisadores repetiram o processo com o outro tipo de café.

Achados apresentados na quarta-feira em um encontro da Associação Americana do Coração, em Dallas :

• Aqueles que beberam uma xícara de café com cafeína tiveram um aumento de 30 % na função vascular do dedo indicador ao longo de um período de 75 minutos, em comparação com aqueles que beberam café descafeinado.

• café com cafeína ligeiramente levanta a pressão arterial dos participantes e diminui o fluxo de sangue no dedo, em comparação ao descafeinado.

• os níveis de freqüência cardíaca foram as mesmas quando os participantes beberam café descafeinado ou regular.

Tsutsui diz que a cafeína pode melhorar a função dos vasos sanguíneos. “Nossas descobertas nos dão uma pista sobre como o café pode melhorar a saúde cardiovascular”. O novo estudo foi financiado em parte pela Associação Japonesa de café.

No entanto, o cardiologista Vincent Bufalino, um porta-voz da Heart Association e vice-presidente sênior do Advocate Cardiovascular Institute, em Chicago, diz que “é difícil chegar a conclusões científicas, de base ampla neste um pequeno estudo. A pesquisa é limitada a uma xícara de café”.

O tema merece uma investigação mais aprofundada, incluindo observar o que acontece quando as pessoas bebem mais cafeína, diz ele.

“Pequenas quantidades de café pode ter um benefício, mas um maior consumo de café definitivamente aumenta a pressão arterial. Ele definitivamente aumenta a frequência cardíaca, e torna as pessoas mais propensas a palpitações do coração”, diz Bufalino. “Nós vemos isso todos os dias, em termos de uso de cafeína em pacientes. Muita gente sente que uma xícara de café lohes eleva de alguma maneira, mas em demasia pode ter efeitos negativos”.

Um estudo publicado no ano passado mostrou que o consumo regular moderado de café pode reduzir significativamente o risco de insuficiência cardíaca em uma pessoa. Constatou-se que beber o equivalente a duas xícaras de café por dia parece ter o benefício mais significativo sobre a saúde do coração, quando comparado com o não consumo de café, mas beber quantidades excessivas de café – 5-6 copos caseiros por dia – pode aumentar as chances de problemas cardíacos graves.

Fumantes que largam o vício podem reduzir o risco cardíaco mais rápido do que se pensava.

Parar de fumar

Alguns fumantes com mais de 65 anos de idade, que largaram o vício, podem ser capazes de reduzir o seu risco de morte por problemas cardíacos, em relação ao nível de quem nunca fumou, muito mais rápido do que se acreditava anteriormente, de acordo com nova pesquisa apresentada na quarta-feira.

Pesquisas anteriores descobriram que idosos ex-fumantes, que consumiram menos de 32 anos-maço de cigarros, podem reduzir seu risco de morrer de doença cardíaca ao nível de não fumantes ao longo da vida, depois de 15 anos.

A medida de ano-pacote é obtida pela multiplicação do número de cigarros fumados por dia pelo número de anos que uma pessoa era fumante. Por exemplo, o pacote de 32 anos seria de 3,2 maços por dia durante 10 anos ou dois maços por dia durante 16 anos.

“A nova descoberta é que se você fuma menos de 32 anos do bloco, você pode ficar como se nunca tivesse fumado, muito mais cedo do que os15 anos”, disse o Dr. Ali Ahmed, que relatou a descoberta na reunião da American Heart Association Scientific, em Dallas.
Muitas pessoas no estudo reduziram o risco de desenvolver insuficiência cardíaca, ou risco de morte por insuficiência cardíaca, ataques cardíacos e derrames, parar de fumar reduz para o mesmo nível daqueles que nunca fumaram, em quase a metade do tempo que as pesquisas anteriores haviam indicado.

“Por meio deles, oito anos após a cessação”, disse Ahmed, professor de doença cardiovascular na Universidade do Alabama, em Birmingham School of Medicine.

“Mesmo para os fumantes pesados, que fumavam mais de 32 anos do bloco, em comparação com fumantes atuais, eles vão reduzir significativamente o risco de mortalidade total, em 35 por cento, então há uma mensagem positiva para todos”, disse Ahmed .

Diminuir o risco para o nível de quem nunca fumou foi uma melhora muito maior comparada com os fumantes atuais, Ahmed acrescentou.

Pesquisadores compilaram os dados através da análise de 13 anos de informação médica do Estudo de Saúde Cardiovascular, começada em 1989 e patrocinada pelo National Heart, Lung, and Blood Institute. Eles compararam 853 pessoas que pararam de fumar há 15 ou menos anos antes, com 2.557 pessoas que nunca fumaram cigarros. Entre os ex-fumantes, 319 fumaram por menos de 32 anos.

Fumar continua a ser a maior causa evitável de morte prematura nos Estados Unidos e em outros lugares. Portanto, a mensagem principal continua sendo: “Se você fuma, pare mais cedo possível”, disse Ahmed.

Mas, mesmo aqueles que não param de fumar, até que atinjam a idade de 65 anos, parece provável que obtenham os benefícios para a saúde do coração se o fizerem.

Embora os benefícios de mortalidade relacionados com o coração observados no estudo pareçam claros, disseram os pesquisadores, os danos aos pulmões não são tão facilmente reversíveis. Aqueles que fumavam por pelo menos de 32 anos, e pararam em há 15 ou mais anos atrás, ainda estavam em maior risco de morrer de câncer de pulmão, enfisema ou doença pulmonar obstrutiva crônica.

Exercícios durante a gravidez podem melhorar o cérebro do bebê.

Exercícios durante a gravidez podem melhorar o cérebro do bebê.

Se uma mulher é fisicamente ativa durante a gravidez, ela pode impulsionar o desenvolvimento do cérebro do seu futuro filho, de acordo com um novo estudo, observando o coração de gestantes e seus recém-nascidos. Os resultados reforçam um crescente consenso científico de que os benefícios dos exercícios podem começar a acontecer antes mesmo do nascimento do bebê.

Há muito se suspeita de que a atividade de uma Mamãe Sarada grávida – ou a falta dela – afeta sua prole que está por nascer, o que não é surpreendente, dada a forma como as suas fisiologias se entrelaçam. Estudos anteriores mostraram, por exemplo, que a frequência cardíaca de um bebê normalmente sobe em uníssono com o seu exercício de mãe, como se a criança também fosse trabalhar fora. Como resultado, os cientistas acreditam, os bebês nascidos de mães ativas tendem a ter sistemas cardiovasculares mais robustos desde cedo do que bebês nascidos de mães que são mais sedentárias.

Se o exercício gestacional semelhante molda o desenvolvimento cerebral de uma criança por nascer tem sido mais difícil de quantificar, embora estudos recentes estejam sendo sugestivos. Um experimento apresentado este mês para a reunião anual da Neurociência em San Diego, por exemplo, informou que ratas grávidas que correram sobre rodas ao longo de suas gestações tiveram filhotes que realizaram mais destreza na primeira infância, em um teste de memória complicado – tendo identificado um desconhecido objeto em um ambiente familiar – do que os filhotes nascidos de mães sedentárias. Estes ratos inteligentes mantiveram sua vantagem cognitiva na idade adulta, semanas mais tarde.

Mas este e outros experimentos semelhantes envolveram animais, em vez de pessoas. Muitos destes estudos também começaram a comparar as habilidades cognitivas das criaturas quando elas tinham idade suficiente para se movimentar e responder ao seu mundo, época em que eles potencialmente poderiam ter sido moldados tanto por seu ambiente como pelo seu tempo no útero.

Então, para minimizar essas preocupações, os pesquisadores da Universidade de Montreal, no Canadá, recentemente recrutaram um grupo de mulheres locais que estavam em seu primeiro trimestre de gravidez. Nesse ponto, as mulheres foram quase idênticas em termos de estilo de vida. Todos eram saudáveis , jovens adultas. Nenhuma era atleta. Poucas tinham feitos exercícios regularmente no passado, e nenhuma tinha se exercitado por mais de um ou dois dias por semana no ano passado.

Em seguida, as mulheres foram escolhidas aleatoriamente para começar um programa de exercícios, com início no segundo trimestre, ou manterem-se sedentário. As mulheres no grupo de exercícios foram convidadas a se exercitarem por pelo menos 20 minutos, três vezes por semana, em intensidade moderada, o equivalente a cerca de seis ou mais em uma escala de esforço de um para 10. A maioria das mulheres caminhou ou correu.

A cada mês, para o resto da gravidez de cada mulher, ela iria visitar o laboratório de exercícios da universidade, para que os pesquisadores pudessem monitorar sua parte física. Todas as voluntárias, incluindo aquelas no grupo sem exercício, também mantiveram registros de atividades diárias.

Após cerca de seis meses, e seguindo os ditames da natureza, as mulheres deram à luz. Todas, felizmente, tiveram meninos ou meninas saudáveis – que os cientistas pediram gentilmente que as mães trouxessem quase que imediatamente para testes.

Dentro de 12 dias após o nascimento, de fato, cada um dos recém-nascidos acompanharam suas mães ao laboratório. Lá, cada bebê foi equipado com capacete pequeno contendo eletrodos, que monitoram a atividade elétrica no cérebro, em seu colo ou de sua Mamãe Sarada, e acalmaram-se para dormirem. Os pesquisadores então começaram um loop de som com uma variedade de sons baixos, suaves que recorreram muitas vezes, intercaladas ocasionalmente com mais dissonantes, ruídos estranhos, enquanto a atividade cerebral do bebê era registrada.

“Nós sabemos que o cérebro do bebê responde a esses tipos de sons com um pico”, em certos tipos de atividade cerebral, disse Elise Labonte – Lemoyne, uma candidata a Ph.D., na Universidade de Montreal, que liderou o estudo e também apresentou suas conclusões na reunião anual da Society for Neuroscience. Este aumento é mais pronunciado em cérebros imaturos, ela continuou, e diminui à medida que o cérebro de um recém-nascido desenvolve e começa a processar informações de forma mais eficiente. “E geralmente desaparece por completo, aos 4 meses de idade”, disse ela.

Neste caso, as atividades das ondas cerebrais relevantes subiram, em resposta aos novos sons, entre as crianças nascidas de mães que tinham permanecido sedentárias durante a gravidez. Mas foram visivelmente anuladas nos bebês cujas mães tinham se exercitado. Em essência, “os seus cérebros eram mais maduro”, disse Labonte-LeMoyne.

Como o exercício gestacional pode remodelar o cérebro de uma criança por nascer não está claro, Ms. Labonte-LeMoyne admite, uma vez que, ao contrário dos sistemas circulatórios , cérebro de uma mãe não está conectado diretamente ao de seu filho. “Mas nós suspeitamos que quando dos exercícios mãe, ela gera uma variedade de substâncias químicas”, incluindo muitas relacionadas com a saúde do cérebro, que pode mover-se em seu sangue e, eventualmente, se misturarem com o sangue de seu bebê.

Mas essa possibilidade é apenas teórica por enquanto. Também não está claro se o desenvolvimento cerebral precoce visto em recém-nascidos de mães ativas permanecerá em suas vidas posteriores. Labonte-LeMoyne e seus colegas planejam testar novamente os filhos em vários testes cognitivos, na idade de um ano de idade.

Mas, por agora, a lição é clara. “Se uma mulher é fisicamente ativa durante a gravidez, ela pode transmitir ao nascituro uma vantagem, em termos de desenvolvimento do cérebro”, disse Labonte-LeMoyne. E o compromisso exigido pode ser ligeiro. “Fomos surpreendidos”, disse ela, “pela quantidade de efeito que vimos”, com quase uma hora de exercício por semana.